Tailandia-Chiang Mai/parte 2

Continuando o post sobre Chiang Mai, agora vou falar um pouco mais sobre o tour que fizemos pelo Parque Nacional da cidade, a visita as mulheres girafa e a visita ao templo Doi Suthep.

Comecando pelo tour, como disse no post anterior,fechamos com a agencia que fica instalada na entrada do albergue que ficamos, o Julie’s Guesthouse. Resolvi fechar com eles porque nao so o Lonely Planet recomendava, mas tambem estavamos hospedados la. Acho meio dificil uma pessoa que vai ter que me ver no dia seguinte dar um calote grande.

E bom, nao tomamos calote, o pessoal eh todo mundo simpatico, nos tivemos um probleminha que foi rapidamente resolvido, mas nao tenho muitos elogios alem desses.

Antes de mais nada, quero dizer que a Tailandia tem um que(com acento,hehehe)enorme de Brasil. Todo mundo eh mega simpatico,o povo para mim foi um dos atrativos do pais, mas assim como no nosso pais, essa simpatica pode ser usada para te engabelar. Os caras vivem uma vida dificil, todo mundo mata um leao por dia, entao o jeitinho tailandes tambem existe. Nao tive medo de ser assaltada hora nenhuma, mas todo cuidado eh pouco na hora que tem dinheiro envolvido. Vou falar mais disso para frente, mas na hora de comprar um tour eles fazem tudo parecer 10x mais bonito do que eh. Isso eh um fato que vai acontecer em qualquer agencia de turismo! E nao foi diferente. Eles querem encher um dia inteiro do tour e ai colocam varias coisas desnecessarias. Como visita a um parque de orquideas. Fiquei empolgadissima quando ouvi pois amo flores com todas as forcas.Mas tive minhas duvidas porque nao tinha ouvido falar de nada parecido por la… E bingo, o tal parque de orquideas nada mais era do que uma estufa com orquideas, que eh a flor simbolo da Tailandia. E logico que tinha um shopping pequeno por la para comprar coisas desnecessarias.

Entao, fora os dois passeios que estavamos querendo , foi so enchecao de linguica e coisas a serem pagas por fora . Recomendo que se pergunte ao maximo o que esta incluso , quanto tempo ficarao em cada atracao , para ter certeza que a coisa vai sair como se quer.Voltando ao passeio, fomos em uma das aldeias das mulheres girafa . E sao varias! Na minha ignorancia achei que era uma aldeia somente. A que fomos era pequena e o unico grupo de turistico la era o nosso , o que achei excelente.E’ uma sensacao de zoo humano, mas nao posso negar que gostei de ver aquela realidade tao diferente . E o que mais me impressionou e’ a quietude delas. Elas sao mulheres sem patria , pois nao sao cidadas nem de Burma (o lugar onde estao as tribos hoje , era de Burma antigamente ) nem da Tailandia. Portanto nao tem direitos .Somente os homens tem o direito a trabalhar e ir a escola , e por isso els  tem levado muitas doencas venereas as mulheres da tribo, que nao tem muito o que fazer a respeito. O sustento delas vem da venda de trabalhos manuais. E mesmo com essa dura realidade, nao senti exatamente tristeza nelas. O silencio delas me parecia uma apatia, uma sensacao de que elas aceitam sua condicao e isso eh tudo. Eh um misto de paz com conformismo muito doido que nunca tinha sentido antes. E ao contrario de todos os outros comerciantes insistentes que encontramos pelo pais , elas sequer oferecem o trabalho , nem chega a ser uma timidez , mas e’ como se voce nem estivesse ali na frente delas . Aquele silencio me comoveu, comprei varias coisas por um preco maior que poderia , mas fiquei feliz em ajuda-las , e acho que os visitantes deveriam fazer o mesmo , ja que elas cobram absolutamente nada para tirarmos aqueles milhoes de fotos e observarmos o dia a dia delas como se fossem bichos enjaulados.

Essa viagem teve varios pontos altos, mas esse para mim foi um dos maiores. As pessoas me fascinam, e ao contrario de muito viajante que eh apaixonado por historia e fotografia, eu sou apaixonada por gente. Eh sempre indescritivel conhecer como outras culturas produzem pessoas diferentes, e os varios outros fatores que tornam as pessoas unicas . Sempre aprendo muito!

So um adendo interessante, elas podem sim tirar as argolas, e tiram! Ha uma lenda que diz que elas morrem se tirarem as argolas pois o pescoco nao aguenta e cai  mas eh mentira pura. Elas podem sim tira-las, mas nao viverem sem depois de uma certa altura. As argolas sao retiradas para limpar, etc de tempos em tempos.E tem foto delas sem as argolas na tribo.

De la , partimos para o passeio de elefante.Antes do passeio , eles te colocam para assistir a um show com os elefantes. E eles fazem de tudo , ate pintura , que nao e’ qualquer rabisco , pintura mesmo.

Nessa hora ficamos com pena dos bichos. Eles usam uma vara, que esta ali embaixo da barriga do elefante na foto, para bater nos pobrezinhos… Ficamos com pena! E saimos do banco que estavamos na hora, nao queria mais assistir. E … deixei a filmadora no banco onde estava. Mas gracas a nossa guia,recuperamos a camera. SO nos demos conta quando estavamos em cima do elefante! E ela correu atras e voltou com a filmadora. Ponto para ela e para os funcionarios do parque! Depois fizemos o passeio no elefante , em volta do parque , que e’ enorme. Acredito ate que exista outro parque para elefantes naquele estilo , mas aquele e’ o maior. Nao vou negar e’ legal andar em cima do bichao, mas a parte do show me entristeceu. Os bichos sao treinados , ficam presos , sao machucados , nao curti ver aquilo. Portanto , recomendo um outro parque que nao fui , por ser muito caro e por ter que gastar um dia inteiro(que eu nao tinha) com os bichos , mas acho que vale mais a pena. La voce alimenta os elefantes , da banho neles , e vive um dia com eles , sem maltratar , sendo somente um espectador mesmo. O nome do parque e’ Elephant Nature Park , e nao se encontra mil tours para la como para o outro , portanto o melhor e’ contactar o proprio parque .Voce pode ate  se hospedar no parque! Eh o que eu faria se fosse hoje, depois de ter visto a condicao dos elefantes, que apesar de enormes tem aquela cara de bonzinhos e indefesos.

O nosso tour ainda incluia um passeio de charrete pelo parque , um “rafting” super emocionante e uma visita a um local onde voce pode entrar dentro das jaulas dos tigres, tirar foto com eles e tudo mais.

O passeio de charrete e o rafting que nada mais eh do que o passeio nessa canoinha super segura sao dispensaveis. Nao sao ruins, mas eu preferia que eles incluissem algo mais bacana. Sei la, de repente a gringaida ate gosta, mas para nos nao foi nada demais aquilo. No final do passeio no parque eles te levam para ver algo interessante: coco de elefante, Isso mesmo! Com o coco do bichao eles fazem papel! Nunca tinha ouvido falar. Mas voce ve todo o processo, eh bem interessante mesmo!

Outra lugar que o tour visitava, era um parque de tigres. Mas a entrada nao estava incluida!Como ja tinhamos ido ao de Kanchanaburi, nao entramos. Mas da para ver um pedaco do parque de onde ficamos aguardando, e deu para ter certeza que o melhor foi ter ido ao outro parque mesmo. Os tigres nao tinham dentes, ficavam nas jaulas e apanham horrorores. Por isso era possivel entrar nas jaulas, tirar foto abracado com os bichos etc. Tambem nao curti.

Ainda em Chiang Mai , fomos ao templo Doi Suthep , a joia das montanhas. E’ lindissimo , e nao deixe de visita-lo se for a cidade. Para ir la , a melhor opcao e’ ir por conta propria. O que fizemos foi pegar um tuk-tuk ate o pe da montanha , e de la pegamos um taxi(que mais parece um saveiro com bancos atras) para o templo. Prepare o folego para subir as escadas e boa sorte.

A vista de la so nao e’ melhor por causa do “bafo” do calor . Mas o templo e’ lindissimo , grandioso e merece um bom tempo para a visita.

Lembrando que para entrar nos templos voce deve estar com os ombros cobertos e sem sapato. Na porta ficam milhares de sandalias e sapatos misturados!

O unico ponto negativo da cidade e’ o turismo sexual. Nao ha hora nem local que nao se veja um velho babao com aquelas garotinhas lindas , que provavelmente nem sabem fazer outra coisa na vida. Mas isso nao faz a cidade perder o encanto , entao va e aproveite!

Facebooktwittergoogle_plusmail

lilistahr

Uma capixaba morando em Londres há mais de 11 anos, e apaixonada pela capital britânica. Viciada em viagem, com uma queda por praias paradísiacas e destinos menos óbvios. Escreve todos os posts mas faz o blog junto com o marido, Klaus. Para saber mais sobre, clique no "sobre nós" na barra superior.

Um comentário em “Tailandia-Chiang Mai/parte 2

  • janeiro 15, 2015 a 2:27 am
    Permalink

    olá! acabo de ler seu post e gostei muito das dicas. gostaria de saber qual foi o tour para essa aldeia das mulheres girafas. tb nnao sabia que tinha mais de uma.
    obrigada
    Bruna

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.