Restaurantes BBB em Marrakech

Nós comemos em alguns lugares que gostaria de indicar em Marrakech. Porque comer no Marrocos não chega a ser tão complicado como na Índia, mas também nào é uma tarefa super simples.

O primeiro de todos é o mais bem localizado e onde comemos uma das melhores comidas da viagem, o Chegrouni.Apesar de ser enorme, ele sempre tem alguém sentado, seja num horário mais fora do comum, ou no almoço e jantar(quando realmente LOTA). Não é para menos. Ele fica bem na praça Djemaa el-Fna, é bem baratinho e serve uma comida maravilhosa! O cardápio não é vasto, portanto aposte nos clássicos tajine ou couscous. Nós pedimos os 2 e ambos estavam uma delícia. Mas o couscous era algo de outro mundo. Quem não curte doce com salgado fique longe pois o couscous chega até ser meio doce, mas super soltinho, muito temperado, no ponto.

Outro lugar que fomos, também por indicação do Lonely Planet é o  Haj Mustapha que fica na parte leste do Souq Abuleh. A única maneira de encontrar é andar pelo leste do Souq e perguntar até encontrar.

Esse merecia até um post só dele. É uma budeguinha no meio do souq que serve uma comida que não se come em qualquer lugar do pais, tanjia. Não confunda tanjia com tajine! Esse prato é tipicamente de Marrakech e nada mais é que uma pedaço enorme de carne cozida com um tempero que deixa a mão toda amarelada, mas é uma coisa deliciosa. A carne desmancha na boca, algo que tem que provar. E nesse lugar que fomos comer só tinha marroquino. Fomos as estrelas da noite, rs. O lugar é muito simples mesmo, equivalente a um boteco copo sujo do Brasil, mas o atendimento foi ótimo, apesar da comunicação em inglês não existir.O fato deles só servirem um prato ajuda.  A carne uma delícia, e o preço super barato. Você tem que comer com as mãos, pois eles não tem talheres. O caldinho gorduroso da carne é comido molhando no pão. E fizemos a loucura de pedirmos um prato para cada um. O garçom se espantou mas trouxe. Quando chegou entendemos o espanto. O prato é só carne e pão. Deve ter mais de 1kg em cada prato! Mas estava tão gostoso que comi mais do que deveria. Um prato médio teria dado tranquilamente para nós dois que somos bem gulosos. Pelo que vi tem pratos médios, grandes e pequenos. Aconselho pegar um a cada 2 pessoas e se quiser mais pedir depois. A bebida de acompanhamento é logicamente chá de menta!

Também fomos a um restaurante para vermos dança do ventre. Não foi exatamente o que eu queria. Queria mesmo era um local com uma arquitetura típica e com dança do ventre com mulheres com velas na cabeça, que é algo bem marroquino. Mas a preguiça de ficar procurando um local mais distante de onde estávamos foi maior. E aí quando vi no guia que havia um restaurante com dança do ventre E bebida alcoólica bem na praça Djemaa el-Fna decidi que seria lá mesmo. E bem no caminho para nosso Riad. Tudo muito encaixado para procurar outro local. Já estava com saudade de uma cervejinha…  Não sou movida a álcool, mas de férias uma cerveja cai muito bem.E então fomos. A comida estava uma delícia, o local é interessante, o antedimento bom, mas um local só para turistas mesmo. Mas numa circunstância de igual preguiça eu voltaria lá, então acho válido recomendar. O show de dança do ventre foi bacana também. Rimos horrores! O preço um pouco acima da média do Marrocos(o que ainda não é caro), cerveja cara, mas valeu a pena sim. O nome(finalmente!hahaha) do restaurante é Le Marrakchi.

Por fim, não posso deixar de falar da experiência de comer na praça Djemaa el-Fna. A comida não é boa, mas foi tào divertido só pelo fato de sentar lá, conversar com os garçons, ver aquele furdunço de todo mundo tentando fazer você sentar na barraca deles, então eu curti. Vale pela diversão.

A única dica que dou é, comam alguma comida que seja quente, fervendo! Assim a chance de pegar alguma “ziquizira”diminui.

Quando nos perguntaram de onde éramos e falamos Brasil, o garçom não tinha noção alguma de onde era. Juro! Ele já tinha ouvido falar do Brasil, mas pensava que o Brasil era na África, ali pertinho. Ai o professor Klaus desenhou um mapa mundi bem mequetrefe e deu uma aula de geografia . Foi juntando garçom em volta dele, foi engraçadíssimo. E o jantar que já era baratinho, saiu metade do preço tabelado. Meu marido sempre faz amizade, não tem jeito!

Aproveite a comida marroquina, que é sem dúvida uma atração e tanto do pais!

Facebooktwittergoogle_plusmail

lilistahr

Uma capixaba morando em Londres há mais de 12 anos, e apaixonada pela capital britânica. Viciada em viagem, com uma queda por praias paradísiacas e destinos menos óbvios. Para saber mais clique no "sobre" e escolha "sobre mim" na barra superior.

4 comentários em “Restaurantes BBB em Marrakech

  • novembro 12, 2013 a 6:22 pm
    Permalink

    Olá!!

    Adorei as dicas!!
    Estou indo para o Marrocos em Dezembro (para assistir aos jogos do Mundial) e estou pesquisando bastante sobre o lugar.
    Gostaria de saber qual a média de gastos diários na cidade de Marrakesh.
    Vocês pagavam eu Euro, Diham ou Dólar?

    Obrigada!!

    Patrícia.

    Responder
    • novembro 12, 2013 a 10:11 pm
      Permalink

      Patrícia,
      Não lembro bem quanto gastamos por dia, mas sem dúvida foi menos do que gastaríamos em qualquer capital européia. Pagamos em torno de 250 libras na estadia pelo que lembro, e foi um Riad charmosinho super bem localizado, mas não lembro exatamente dos valores do restante. Foi barato comer, mas tenha em mente que não vamos a restaurantes carérrimos quando viajamos. Acho complicado aconselhar um valor por dia pois isso varia demais de pessoa para pessoa, das prioridades e expectativas de cada um. Como praticamente não usamos taxi, isso pode ter influenciado nos gastos também. Tudo nosso foi pago em Diham. É possivel que aceitem outras moedas, mas é quase pedir para pagar a mais, já que o comerciante dá a cotação que lhe convém.

      Responder
    • Fevereiro 23, 2016 a 6:16 pm
      Permalink

      Que bom Carol! Quando for me conta se usou as dicas. E obrigada pelas indicações no seu blog 🙂

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *