Cairo- o primeiro dia

O Egito foi uma das poucas viagens que fechamos um tour. E sem dúvida não me arrependo nada! Depois vou falar mais sobre isso. Fomos de Londres ao Cairo por nossa conta e resolvemos chegar 1 dia antes do tour começar. Ficamos no hotel indicado pela agência e alugamos uma van(com motorista) para conhecermos as atrações da cidade que não estavam incluídas no pacote. O hotel foi quem arrumou o carro.

A primeira parada foi a Mesquita Muhammad Ali Pasha.Linda e imponente, a mesquita foi claramente inspirada na Mesquita Yeni de Istambul. Ela fica no topo da cidadela, e naturalmente proporciona uma vista “privilegiada”de toda cidade. Apesar de termos amado a mesquita, por ser muito turística ela fica bem lotada.

Até pela lotação, é bom reservar um tempinho para gastar nela. A mesquita tem várias partes super fotogênicas e merece uma visita sem pressa.

Ainda bem que outra mesquita, bem menos conhecida, estava nos planos, Madrassa of Sultan Hassan. Ela também fica na cidadela.Foi legal ter visitado uma mesquita quase que 100% vazia, sem ter que disputar o espaço, e acho que dá uma sensação mais real para mesquita.Ao invés de só sentir como um ponto turístico, você lembra que aquilo também é um local religioso.

Achei a mesquita um pouco mal cuidada. Para falar a verdade achei muitas coisas mal cuidadas no Cairo, uma pena pois é uma cidade com tanta riqueza cultural!

De lá partimos para o mercado de Khan Al-Khalili. 

O mercado é uma experiência que não pode faltar numa visita ao Cairo. Ele é lotado, muita gente vai tentar te passar a perna, vai encher o saco depois de um tempo, e mesmo assim eu repito: não deixe de ir!

Acho que nesses souqs a gente consegue fazer de tudo um pouco: conversar com as pessoas, ver como o povo se relaciona com o turista, ver um pouco do quanto pode custar viver naquela cidade, comer o que eles comem de verdade, ver o que o povo veste e se comporta. Enfim, eu sempre acho que feiras e mercados são um ótimo resumo de um povo. E o mercado de Khan Al-Khalili não é diferente. Os egípcios são insistentes para vender e nada funciona sem barganha. Tem que negociar mesmo!

E quando estávamos andando lá há algum tempo e todos de saco cheio de nos sentirmos carne no açougue eu resolvi tirar dinheiro numa máquina que encontrei no caminho. E justo no meio da minha frase reclamona um rapaz de uma loja veio me devolver meu cartão. Eu tirei o dinheiro e esqueci o cartão na máquina. Um tapa e tanto. Acho que nada acontece por acaso, e aquilo foi exatamente para me mostrar que eu deveria tentar interagir mais, desarmar um pouco, afinal de contas atrás de um negociante ávido tem uma pessoa que pode te ensinar algo. E foi assim que tudo ficou melhor, e a gente aprendeu a se divertir com as situações ao invés de se irritar. Logo depois uma senhorinha nos pediu um cigarro. A maneira como tudo aconteceu foi tão engraçada, que pedimos uma foto.

Do mercado só levamos uma sheesha. Mas para mim o que menos importou foi a compra. Ele tem muito mais a oferecer do que isso! E com a sheesha e uma cerveja pelando de quente foi que acabou nosso primeiro dia no Cairo!

No dia seguinte começou o tour, que será assunto dos próximos posts!

Facebooktwittergoogle_plusmail

lilistahr

Uma capixaba morando em Londres há mais de 12 anos, e apaixonada pela capital britânica. Viciada em viagem, com uma queda por praias paradísiacas e destinos menos óbvios. Para saber mais clique no "sobre" e escolha "sobre mim" na barra superior.

2 comentários em “Cairo- o primeiro dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.