Leilão, um programa quase cultural na Inglaterra

Como vocês que me seguem no instagram/twitter/facebook devem ter percebido, mudei recentemente. E ando numa fase “casa”. É minha obsessão do momento! E numa das minhas andanças de loja em loja em busca de achados acabei conhecendo uma brasileira que me encarajou a ir num leilão que acontece mensalmente perto da minha casa. Eu moro nessa região há quase 5 anos e sempre passava na frente da casa de leilão mas pensava que eles leiloavam peças caríssimas e inatingíveis. Qual foi a minha surpresa ao descobrir que nos seus leilões se garimpam peças por até 1/10 do preço! Na verdade eles também promovem leilões de obras/peças caríssimas, mas existem leilões para todos os bolsos. E como eu sempre quis ir a um leilão, foi a oportunidade perfeita para comprar algo para casa e ainda viver a “experiência” Quem mora na Inglaterra ou já teve a oportunidade de ver um pouco da TV inglesa sabe, leilão é algo que o povo daqui ama. Nem sei quantos programas com leilões passam na TV aberta diariamente. De vez em quando vejo anúncio de leilões de eletrônicos, peças novinhas em folha de lojas que fecharam/faliram, etc. Também tem os leilões de carro e imóveis. Mas os que fazem sucesso mesmo, são os leilões de antiguidades e obras de arte. A maioria dos leilões de antiguidade é dividia entre os de fine arts, que são aquelas antiguidades que tem status de obras de arte ou que por algum motivo particular valem bastante(raridades, de designers famosos que já não se encontram facilmente, ou de uma época dificil de encontrar, de materiais nobres etc), e os collectables, que seriam itens “colecionáveis”, mas que não tem as particularidades que os tornam impossivelmente caros e raros. Aliás, todo mundo sabe disso, no mundo das antiguidades, quanto mais raro mais caro. E para “gente normal” como nós, uma peça única, de boa qualidade, de design lindo e preço amigo já esta bom demais! Então me descobri uma fã dos tais collectables. E esta casa de leilão próxima a nossa casa tem leilões mensais de antiguidades e colecionáveis. No dia 2 fomos a um, e simplesmente amamos. A única coisa que precisamos foi levar um documento com foto e comprovante de residência no dia para ganharmos a nossa plaquinha de lance. Quem quer dar lances por telefone ou internet precisa se registrar com uma certa antecedência, acho que isso deve ser um padrão das casas. Nessa casa de leilão o catálogo fica disponível uma semana antes no website deles. 3 dias antes as peças ficam expostas para quem quiser ver pessoalmente. No dia que fui aconteceram vários leilões diferentes. De móveis, de obras de arte, de pinturas, de jóias, de tecidos/roupas,cerâmica/vidro.

image[3]

Cada uma tem seu horário e algumas acontecem ao mesmo tempo, em salas diferentes.Todo mundo fica sentando/entre/encostado nas peças que serão vendidas, tudo acontece no meio delas mesmo. E tem um palquinho onde o leiloeiro fica com seu martelo dando os lances e ao seu lado fica a TV que mostra o item a ser leiloado naquele momento, exatamente como a gente vê nos filmes.Como foi nossa primeira vez, perdemos a chance de comprar várias coisas bacanas, nos embolamos um pouco, mas ficou a lição. É preciso ser prático, ir um dia antes para ver as peças e não no dia como fizemos, anotar o número do lote das peças que interessam e ter em mente o preço máximo que se pagará para cada uma. Funciona assim, algumas peças não tem o preço reservado(como no ebay), aí o moço do martelo pode baixar até o preço que ele quiser para tentar vender a peça. Se o “dono” da peça tiver colocado um preço mínimo, ele só pode ir até ele. E ainda tem compradores que colocam seu lance máximo já antes do leilào começar e o leiloeiro sabe que podem dar lances até chegar naquele valor, impedindo que a peça caia de valor. Eles chamam isso de peça com comissão. Quando uma peça não desperta interesse, percebi que é melhor não dar o lance logo, assim o leiloeiro baixa o valor do primeiro lance até  “na chon”. Eles também aceitam proposta quando não há preço reservado, então se o preço for baixando mas você ainda quiser menos pode propor o preço do primeiro lance e será aceito ou não. Além disso, tem que pensar rápido quando alguma peça bem legal cai bastante de preço e ela pode ser uma futura venda(ebay, te amo), ou mesmo aquelas peças que você não deu importância antes mas percebeu durante o leilão que seria uma boa compra. Numa dessa deixamos de comprar algo que nem haviamos pensado em ter em casa mas seria perfeito para a nossa sala. Uma cristaleira/escrivaninha/armário por 50 libras! Mas acontece e o melhor é ser ágil para não perder. É preciso lembrar também que cada casa cobra sua comissão no preço do martelo mais o imposto. Compramos uma mesinha linda demais para colocar nosso rádio antigo por 20 libras. Com a comissão e VAT saiu por 25. Essa mesma mesa de mogno pode custar 200 libras facilmente.

vintage

Mas o que mais curti nem foi a nossa mesinha fofa, e sim o programa em si. A “ação”já começa antes do leilão, quando muita gente chega para ver as peças. E ali mesmo já começa a “competição”, pois já dá para notar a popularidade dos itens que te interessaram e se você terá “concorrentes” nos lances. Eu acho que para quem quer comprar barganhas o melhor mesmo é pegar duas opções de cada item que interessa e investir na que não tem muita concorrência. Se tem 3 camas que você gostou, concentre as forças na menos popular! E se engana quem pensa que as peças mais bonitas são as mais disputadas. Nem sempre… Uma velhinha na minha frente por exemplo, pagou 280 libras por 4 bonecas antigas caindo aos pedaços. Sem perna, sem braço, etc. O móvel mais bonito de todo leilão na minha opinião, não foi vendido nem quando baixaram para 200 libras, um item que valia no mínimo 1500 se vendido por aí. Aliás, a excentricidade do que vale mais ou menos é bem interessante também. Vimos peças beeeeem ruins ao olho leigo(nosso, no caso) sendo vendidas por pelo menos 20 vezes o que eu diria que vale.

image[5]

Mas vale o quanto pagam no leilão, essa é a regra. Toda a adrenalina de dar os lances e ter que pensar rápido se aquilo que você curtiu vale o preço que estão cobrando é muito legal também. Eu adorei,achei que é uma boa oportunidade não só para garantir compras bacanas como também sentir um pouco da cultura inglesa já que esses leilões sao algo tão parte do dia a dia inglês, seja ao vivo, seja na tv, e neles participam várias famílias e gente mais velha cheia de história para contar. Numa cidade tão cosmopolita como Londres a gente fica sempre procurando uma experiência super britância para viver e ir a um leilão foi sem dúvida uma dessas experiências bem autênticas. Adorei e certamente vou repetir a dose! Quem quiser visitar um leilão sem dar lance, não deve precisar de registro, é só entrar e ver, pelo menos neste que fomos funciona assim. Mas participar faz toda a diferença! As fotos não estão lá muito boas porque eu não sabia se podia tirar foto ou não, mas a lógica é que fotos sejam proibidas num lugar assim, por isso não abusei. A casa de leilão que fomos se chama Rosebery’s para quem tiver curiosidade de ver o catálago com os preços.

Facebooktwittergoogle_plusmail

lilistahr

Uma capixaba morando em Londres há mais de 12 anos, e apaixonada pela capital britânica. Viciada em viagem, com uma queda por praias paradísiacas e destinos menos óbvios. Para saber mais clique no "sobre" e escolha "sobre mim" na barra superior.

Um comentário em “Leilão, um programa quase cultural na Inglaterra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.