Centro histórico de Vitória em um dia

O centro de Vitória é pequeno e pode ser tranquilamente visitado em um dia. Não que ele não mereça mais tempo, mas geralmente um dia é o que as pessoas tendem a dedicar para a região histórica da cidade.

Comece cedo! O centro da cidade fica bem abandonado nos finais de semana, e apesar de ser incrivelmente mais agradável fazer turismo na paz e tranqulidade, é bom ter em mente que caminhar pelas ruas vazias do centro de Vitória com uma camera na mão e  sozinha(o) pode ser uma idéia pouco segura. Antes de começar, tenha em mente que a maioria dos monumentos históricos estão na cidade alta, que recebe este apelido por estar errr… no alto! Sim, elementar. É preciso subir uma das escadarias da cidade ou ladeiras para chegar lá. Então vamos ao roteiro!

Teatro Carlos Gomes: antes de “subir” para a cidade alta dê uma atenção a este teatro que fica na praça Costa Pereira. Ele foi inaugurado em 1927 e seu teto foi pintado por Homero Massena, pintor mineiro muito conhecido que viveu em Vitória. O teatro está aberto a visitação mas é preciso agendar ligando 3315-5540.

Teatro Carlos Gomes

 Catedral de Vitória: Já na cidade alta foi construída em 1918, ocupando o lugar da antiga igreja de Nossa Senhora da Vitória, que foi construída em 1551 e demolida anos antes do início da construção da Catedral. Confesso que o estado acabadinho da Catedral me enstristeceu, mas ela continua uma linda igreja e um roteiro do centro histórico de Vitória jamais está completo sem uma visita a ela!

Catedral Metropolitana de Vitoria

Convento do Carmo: Construído em 1682 e reformado em 1910, o complexo era formado pelo convento, uma capela e uma igreja. A última foi destruída e o resto reformado. Eu pessoalmente achei o convento surpreendentemente bem preservado.

Convento do Carmo

Convento de São Francisco: nunca visitei a parte interna do convento, confesso. Mas por sua importância histórica, ele não merece ser ignorado. Este foi o  primeiro convento Franciscano da Região sul do Brasil Colônia.

Convento São Francisco

Palácio Anchieta: Na minha humilde opinião, esse é o ponto alto de uma visita ao centro de Vitoria. O palácio foi construído no século XVI. Até 1760 um Colégio funcionava ali. Hoje ele é a  sede administrativa do governo. Está muito bem conservado e aberto a visitação em dias específicos. Vimos uma exposição muito bacana sobre o Rubem Braga, um jornalista e poeta de Cachoeiro de Itapemirim(que é a terra do Roberto Carlos). No dia que estivemos lá não era um dos dias de visitaçào, fiquei na vontade. Minha cunhada, que já foi algumas vezes garatiu que vale bastante a pena.

Palacio Anchieta

Viaduto Caramuru: Este viaduto foi criado para que o bonde que circulava na cidade passase por lá mas jamais cumpriu seu objetivo. Pertinho dali, na rua Caramuru, aconteceu uma batalha entre os holandeses que tentaram invadir em 1640. Fico pensando se o futuro da minha cidade teria sido diferente se essa invasão tivesse sido bem sucedida. Algo me diz que teria sido bem diferente, para melhor.

Viaduto Caramuru

As várias escadarias que ligam a cidade baixa com a cidade alta não devem ser ignoradas! Uma atenção especial deve ser a dada a duas delas. A escadaria Maria Ortiz e a São Diogo. A primeira recebe esse nome em homenagem a uma jovem heroina que junto aos moradores da região, impediu a invesão dos holandeses em uma das suas tentativas. Junto com os outros moradores, e incentivados por ela, eles jogavam agua fervendo há quem diga que os baldes estavam cheios de cocô e não de água) e outros objetos nos piratas holandeses. A escadaria São Diogo foi construído próximo ao antigo forte. Hoje uma das suas “pontas” está na praça Costa Pereira e outra próxima a Catedral Metropolitana. É preciso um certo cuidado ao caminhar pelas escadarias em horários não comerciais.

Escadaria São Diogo

Além disso, não deixe de visitar a Capela Santa Luzia, a Igreja São Gonçalo e do Rosário. Não tenho fotos de nenhum deles comigo, mas já fui aos 3 e todos tem sua importância histórica e merecem uma visita.

Vários desses locais tem visitas monitoradas., e aparentemente gratuitas. Mais informações através da Prefeitura de Vitória, neste site.

No final desse dia sugiro relaxar numa das poucas opções bacanas de música ao vivo do centro de Vitória, o Casa de Bamba.Fomos lá depois dessa maratona, e foi bem bacana. Já tinha ido neste local quando funcionava outro bar, mas nem de longe tinha o charme da Casa de Bamba. Torço bastante para que a juventude capixaba veja a importância do centro e consiga fazer o que muita gente tenta ha anos, que ajudar o centro renascer das cinzas.

2 pensamentos sobre “Centro histórico de Vitória em um dia

  1. Pingback: Ilha das Caieiras e Basílica de Santo Antônio | Catálogo de viagens

  2. Pingback: O que fazer em Vitória? Um roteiro (mastigadinho) de 3 dias na Ilha do Mel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s