Flam, os fiordes noruegueses e a hospitalidade italiana!

O post de hoje é uma mistura de Throw back Thursday com Figuras de Viagem em  Flam e nos fiordes noruegueses.

Explico-me: A nossa saudade aqui no blog tem data marcada, toda primeira quinta do mês, mas no meu coração eu tenho saudade de quase todos os lugares que já visitamos sempre. Já as figuras de viagem não aparecem há muito tempo por aqui, o que não significa que a gente não tenha saudade delas também. Então hoje eu vou contar um pouquinho dos nossos dias em Flam, e do pessoal bacana que a gente conheceu lá!

 fiordes noruegueses 2

A Noruega sempre esteve no alto da minha lista de desejos. Mas achava que precisaria ficar pelo menos uma semana viajando pelo país para conseguir ver os fiordes.  Como tudo é muito caro por lá, essa viagem ficava de lado, pois uma semana viajando pela Noruega pagava 2 ou 3 facilmente em outros lugares… Mas depois que descobri a Norway in a Nutshell, vi que poderia passar um final de semana prolongado e ter um gostinho do que o país oferece sem gastar tanto tempo e dinheiro!

casas anigas Noruega fiordes noruegueses

O bom desse tour é que ele te deixa completamente independente apesar de ser um tour, e você pode estender se quiser. É um clássico e muita gente que eu conheço conheceu os fiordes nesse esquema.

fiordes Noruega

Tivemos muito azar com o clima, choveu o tempo todo, mas isso não nos abalou. Fizemos nossas caminhadas na chuva, passeamos de barco na chuva, mas se beleza nos deixou de boca aberta com aquele tempo horroroso, fico imaginando como seria com o tempo bonito. Por isso mesmo, anos depois, eu ainda me sinto “em dívida” com a Noruega, quero muito voltar num clima melhor e ver a beleza estonteante do país com sol!

fiordes noruegueses

A porta de entrada dos Fiordes é Flam, uma mini vila que tem uma estrutura de dar inveja a qualquer cidade grande brasileira. O local tem poucos hoteis, deve ter uns 200 habitantes, mas tem informação turística bilingue, mapas com diferentes rotas para trekking, recebe cruzeiros constantemente, e tem até estação de trem!

navio em Flam

Mas se tivemos azar com o clima, o mesmo não posso dizer das pessoas que encontramos pelo caminho. Conhecemos um italiano muito figura na informação turística de Flam e ele nos convidou para uma festa na casa dele O italiano punk morava numa casa ligeiramente afastada do centrinho de Flam, e como a cidade tem pouca luz a noite, tivemos que andar no escuro total por uns 15 minutos para chegar lá, assim como na volta. Sinistro nos primeiros 2 minutos, depois ficou surrealmente engraçado. Ficamos meio cabreiros no começo, mas perguntamos para a dona do hotel se o rapaz era confiável e ela disse: meio maluco, mas gente boa, podem ir tranquilos. O Klaus ainda comentou: “a gente aqui achando que ele é um punk doido e que vai fazer o maior festão hardcore mas pode ser que a gente chegue lá e esteja tocando música clássica, todo mundo falando baixo, tudo na maior paz.” E ele tinha razão. O punk gente fina nos recebeu com música classica! rs  E foi uma noite super divertida, numa cidade onde esperávamos no máximo jogar baralho a noite toda bebendo vinho. Chegamos lá e outras 13 pessoas estavam no local. Numa vila como aquela, 15 pessoas juntas formavam praticamente o festival da região! Assim comemos todos a comida que o italiano e seu flatmate prepararam,ouvimos as histórias dos demais viajantes, conhecemos um pouco mais da realidade norueguesa(que pelo visto não é tãaaao perfeita como eu pensava) e recebemos o status de reis da noite pois levamos duas garrafas de vinho, rs.

O rango e os vinhos!
O rango e os vinhos!

Se tudo já é caro na Noruega, imagina quanto é uma garrafa de vinho numa cidade minúscula como Flam! Eu não sei quanto é de verdade, mas depois de ver que uma promoção do Macdonald’s custa em média 15 euros, prefiro nem saber o preço do vinho. Lá conhecemos um mísero norugues, um turco, alguns italianos, uma chinesa, e um casal finlandês que viajava pela Europa de carro, e pasmem o rapaz do casal que dirigia não tinha um dos antebraços! E estava há 5 meses viajando pelas estradas da Europa. Eu amo conhecer os nativos, mas também adoro trocar experiências com outros viajantes, é sempre um aprendizado. Foi uma noite deliciosa e que a gente guarda com muito carinho na memoria. Não teve nada de muito extravagante ou uma história mirabolante. Mas o fato de termos conhecido gente do mundo todo, numa vila de 450 habitantes, de uma maneira que a gente jamais esperava foi o suficiente para deixar aquilo marcado na mente. Aquela troca de experiências, as conversas, foi um presente quando o que a gente esperava mesmo era dormir as 8 da noite por tédio agudo em Flam. A doçura do italiano punk também foi algo que nos marcou. No final das contas ele era só um yogi amante de música clássica tranquilão que queria fazer amizade com todo mundo que passava pela informação turística. Aliás era para isso que ele trabalhava lá, para conhecer gente. E mesmo estando quase no final do mundo, ele conseguia.

"Festival " de Flam! rs
“Festival ” de Flam! rs

Fomos em setembro, e pelo visto, aquela festa era o “fechamento do verão” para eles. Muitas pessoas que passaram o verão ali trabalhando estavam prestes a voltar aos seus paises e retomar a vida. E assim, não só o verão deles foi fechado com chave de ouro, mas a nossa viagem também.! É amigos, as viagens sempre nos ensinam bastante. E surpreendem quase sempre!

*Toda quinta vamos publicar fotos e escrever sobre viagens do passado, numa referencia ao famoso hashgtag #throwbackthursday usado nas redes sociais para identificar uma foto do passado. A intenção dessa série de posts não é necessariamente dar dicas práticas, pois por serem antigas elas podem estar fora do contexto atual do local. A idéia é inspirar com fotos e lembranças de lugares incríveis!

Facebooktwittergoogle_plusmail

lilistahr

Uma capixaba morando em Londres há mais de 12 anos, e apaixonada pela capital britânica. Viciada em viagem, com uma queda por praias paradísiacas e destinos menos óbvios. Para saber mais clique no “sobre” e escolha “sobre mim” na barra superior.

Um comentário em “Flam, os fiordes noruegueses e a hospitalidade italiana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *