Cancelamento de viagem e mudança de planos

No início do ano, tragédia que aconteceu em Paris pegou muita gente de surpresa. Além de acompanhar e lamentar esse tipo de coisa como ser humano, eu acompanho e lamento como viajante/turista. É muito triste acompanhar o que esta acontecendo com a Siria e lembrar  esse país recebia turistas ha bem pouco tempo mas hoje  é um destino que causa medo e apreensão. Um dia após o primeiro ataque em Paris, no dia 8 de janeiro de 2015, um carro bomba explodiu no Iémen matando 38 pessoas e deixando mais outras 40 feridas. Poucos dias depois, 2 mil pessoas foram executadas na Nigéria por um grupo terrorista, que praticamente acabou com a cidade de Baga. .Sim, muito mais gente que em Paris, mas naturalmente que quase ninguém ouviu falar sobre porque quem quer saber sobre o Iémen ou a Nigéria?(Eu!) Com essa bomba em Sana’a, também explodiram meus planos de visitar o país. Quem me conhece sabe que eu quero ir à Socotra, é um sonho antigo e essa não é a primeira vez que tento e desmarco a viagem. Nesse tempo que eu achei que ia, ouvi um montão de gente me chamado de maluca. Entendo, afinal de contas poucas pessoas leem sobre o Iémen. E não estou condenando, tem tanto país que eu nem sei que existe por aí. Mas se elas procurassem se informar como quando comecei a sonhar com a viagem, saberiam que o bicho lá era bem menos feio do que pintavam e muito mais gente do que pensamos viajava para lá. Mas a coisa encrespou na capital, que até então era relativamente”visitável”, e agora virou uma bomba relógio. Até dá para chegar na ilha de Socotra de outras maneiras, mas a viagem começou virar um fardo antes mesmo de existir, e não é preocupação e tensão que eu procuro quando estou de férias . Planejei várias coisas, fiz cotações das passagens, conversei com agências, fiz cotação de seguro de viagem, tirei férias no trabalho, tinha tudo devidamente planejado mas acabei desistindo porque senti que era o mais certo a ser feito(depois de ouvir isso de milhões de pessoas,rs).  Quando cheguei a conclusão que não dava mesmo, bateu uma tristeza enorme. Bem #classemédiasofre  eu sei, mas é tão chato quando você tem tudo planejado, mapeado, sonhado e tem que desmarcar. E aí fiquei pensando, o que pode fazer alguém desmarcar uma viagem além de motivos pessoais? Ao mesmo tempo pesquisei tanta coisa, li tanto que algumas lições ficaram desse planejamento da viagem que nunca foi. Então achei legal dividir com vocês como proceder quando se vai para um local onde está acontecendo algum conflito ou guerra.

image

-Primeiro passo é preciso ler, se informar, ler, ler e ler.

Muita gente prefere deixar o fluxo levar, mas acho que quando a viagem é para  lugares com conflitos ou problemas de saude/segurança é preciso ter um mínimo de informação. Aliás, não o mínimo, o máximo. Deixe a vida te levar quando você for para um lugar estável no que diz respeito à guerras, segurança e saúde.

-Eu faço assim: primeiro eu leio guias atuais(não vale aquela edição de 5 anos atrás que você comprou no ebay), e tenho uma ideia geral de como é o país.

-Depois pesquiso nos jornais, que sempre dão aquela alarmada básica, mas que te dá uma idéia boa do que está acontecendo no momento. Jornais online locais da cidade a ser visitada são melhores pedidas do o que os jornais da sua cidade, naturalmente.

-Por fim vou atrás de quem está lá na hora para tirar minhas conclusões finais. Para isso uso muito foruns de viagem. O do Lonely planet e o Tripavisor são os que tem as respostas mais rápidas e gosto de ler blogs de viagem, naturalmente. Em portugues tem o site Mochileiros que tem um forum também.  No Tripadvisor, por exemplo recebi uma reposta triste de uma pessoa que mora em Sana’a, dizendo que a situação está muito feia e que ele não recomenda a visita no momento.

-Procuro blogs de quem mora no país em questão ou quem passou ha pouco tempo pelo lugar. Tem que ter paciência porque nem sempre uma pesquisa de segundos no google vai te apontar um blog legal.

-Por fim, uso um outro recurso ótimo para saber algo em tempo real, hashtag do Instagram. Fui em alguns perfis de gente que vi que estavam em Socotra e fiz perguntas, que foram prontamente respondidas.Ajuda MUITO falar inglês nessas horas, não vou mentir.  

Decidiu ir depois de pesquisar mesmo correndo rindo de um cancelamento de viagem?

 Então a regra número zero é ter um seguro de viagem. Há uma grande chance dele ser usado nesses casos, mas a maioria dos seguros normais não cobrem países que estão na lista do Ministério de relações internacionais do seu país de residência(aonde você deve comprar o seguro, no caso). Então quem vai à determinados lugares, precisa de um seguro especial. Tenha MUITA atenção a cada detalhe do que o seguro cobre ou não, como e quanto, etc.  E esses seguros podem ser mais caros que os normais. Fiz uma cotação para 10 dias de viagem em Socotra e custaria quase 300 libras para mim e para o Klaus. Gente, é quase o preço da passagem aérea! Ainda por cima veio cheio de exclusão e no final das contas não serviria para muita coisa. Acho que vale conversar com um agente de viagem confiável para cotar o preço.

-Outra coisa é, quem tem mais de uma cidadania precisa avaliar qual a mais conveniente.  Muitos brasileiros tem dupla nacionalidade, e nesse caso acho que vale muito pensar qual cidadania usar para não entrar numa furada maior. Sempre cogitei em usar a brasileira tanto para mim quanto para o Klaus se fossemos a Socotra. Pode ser bobagem, mas não custa verificar qual passaporte vai facilitar mais a sua vida. Aliás, isso serve para todos os lugares. Um exemplo é a Turquia, onde brasileiros não pagam taxa para entrar mas ingleses sim! 

– Se você decidiu ir, creio que o lugar no final das contas é muito mais seguro e tranquilo do que parece. Então se o que você ouve as pessoas e os jornais sensaciolistas falarem não está de acordo com a realidade, não encane. Vá, tome os cuidados para não fazer da viagem uma roubada e seja feliz sem se importar muito com o que vão dizer. Afinal de contas, sempre tem um sem noção que pergunta: ” Camboja? Vai fazer o que lá? O país não esta em guerra?”

 

 

Primeiro de tudo, eu acho que a gente precisa usar o nosso bom senso para saber se vamos ou ficamos. Não o bom senso da mãe, da avó ou do amiguinho, o nosso. Porque do mesmo jeito que tem gente me achando doida de um dia ter considerado ir ao Iémen, pode haver quem ache que estou fazendo tempestade num copo d’água e ir a países em guerra faz parte do seu CV. Mas cada um conhece bem a voz do bom senso e só não ouve quando não quer.

Até uma maluca como eu tem seus princípios. A gente precisa ter noção que nem toda viagem vale a pena.

Facebooktwittergoogle_plusmail

lilistahr

Uma capixaba morando em Londres há mais de 11 anos, e apaixonada pela capital britânica. Viciada em viagem, com uma queda por praias paradísiacas e destinos menos óbvios. Escreve todos os posts mas faz o blog junto com o marido, Klaus. Para saber mais sobre, clique no “sobre nós” na barra superior.

12 comentários em “Cancelamento de viagem e mudança de planos

  • junho 11, 2015 a 6:00 pm
    Permalink

    Já me aconteceu ter que desmarcar uma viagem a Cuba, a menos de um mês de partir… Já andava super entusiasmada, já tinha marcado excursões lá… A agência que tinha marcado tinha ido a falência, e tudo o que tinha reservado ficou sem efeito! Fiquei mesmo de rastos, mas felizmente consegui voltar a marcar tudo novamente para dois meses mais tarde 🙂

    Responder
    • junho 15, 2015 a 8:54 am
      Permalink

      Gi, a gente já teve uma viagem para Turquia cancelada 3 dias antes pelo mesmo motivo seu, mas acabamos agilizando tudo nesse tempo com outra companhia. Eu contei aqui no blog, foi um sufoco, mas valeu a pena no final. Mas a sensação é ruim mesmo, tem que manter a calma para poder resolver tudo rapidinho. Bjs!

      Responder
  • agosto 11, 2015 a 4:00 pm
    Permalink

    Pois é acabei de ler sua mensagem sobre cancelamento. Estou com viagem marcada para a Turquia em novembro e não sei o que faço. Enquanto um lado quer muito conhecer o país o outro lado fica desesperado só de pensar na guerra que acontece por lá. Sempre pensei que a guerra estava longe de onde iria ficar mas ontem jogaram bomba em Istambul. Cheguei a suar frio quando li a notícia..Vou continuar pensando e lendo as notícias.

    Responder
    • agosto 11, 2015 a 5:01 pm
      Permalink

      Jaqueline, não sei exatamente como está a situação na Turquia, mas pelo que li por alto o problema é só na fronteira mesmo. Se a viagem já está marcada, continue pesquisando, lendo a respeito e se tiver alguma cidade da fronteira no seu roteiro, considere seriamente mudar e colocar outra cidade no lugar. Fora isso acho que não deve ter problema, viu. Vários amigos meus foram recentemente para lá. Boa sorte!

      Responder
      • agosto 11, 2015 a 8:01 pm
        Permalink

        Eu pensava assim…o problema era na fronteira…mas ontem foi uma bomba na Embaixada Americana em Istambul e eu iria ficar em Istambul. Tenho que pensar seriamente sobre o assunto…Você conhece alguém que foi por esses dias ???

        Responder
        • agosto 11, 2015 a 11:04 pm
          Permalink

          Continua acompanhando as notícias, isso pode ser um fato isolado. A decisão de ir ou não é algo pessoal, a gente precisa estar certa e tranquila que será o melhor. E isso vc só pode decidir depois de acompanhar as notícias, ler bastante através de diferentes fontes. Meus amigos foram recentemente, porém antes dessa bomba.

          Responder
  • novembro 2, 2015 a 6:34 pm
    Permalink

    Que chato que você teve que cancelar. Deparei-me com seu blog ao pesquisar sobre socotra, único destino Do Iêmen que acredito ser visitável atualmente. VC não chegou a cogitar vôo direto de Dubai, evitando, assim, sanaa?

    Responder
  • julho 20, 2016 a 6:47 am
    Permalink

    Estou muito triste pois a vida toda meu sonho foi conhecer Paris, mas neste momento está difícil ir para qualquer parte da Europa com tanto terrorismo

    Responder
    • julho 21, 2016 a 11:04 am
      Permalink

      Cristiane,
      Eu não deixaria de ir a Paris, ou a qualquer outra cidade européia nesse momento. Mas isso é uma escolha e decisão 100% pessoal. Se você não se sente segura, sugiro que siga nas redes sociais alguns blogueiros que moram na cidade para tirar suas consclusões de como realmente está a cidade naquele momento. O Snapchat é interessante para ver a vida real. A Renata é uma jornalista que mora lá, e tem um snapchat chamado diretodeparis e um blog de mesmo nome. Passa lá para ver o que acha.

      Responder
  • Maio 2, 2017 a 4:18 pm
    Permalink

    Oi Liliana.

    Será que vc ainda movimenta esse blog? “Caí ” aqui por acaso, mas vou comentar. Tomara que dê a sorte de vc ler. Rs!! Eu estou bem chateada pq a cerca de 2 meses fechei um pacote de viagens para conhecer N.Y. Sempre foi o meu sonhooooo mas não animo ir sozinha pq tenho dificuldades com o inglês e me sentiria bem insegura em ir “alone”. Rs! O problema é que o agente de viagens me falou que não atingiu a quantidade mínima de pessoas para realizar essa viagem, em virtude do possível conflito entre EUA x Coréia do Norte. Me pediu para aguardar uma decisão definitiva da agência até 16/05. Sendo que viajaríamos em 16/06. Ou seja: só saberei se a viagem vai rolar com 1 mês de antecedência… fiquei MUITO chateada. Sei que poderia ir assim mesmo, sozinha. Mas fico com muito receio. Só saí do Brasil para ir à Buenos Aires. Então EUA ainda me dá um certo frio na barriga. enfim… só queria dividir isso aqui com vc. Gostei do blog. Um abraço!!!

    Responder
    • Maio 10, 2017 a 2:01 pm
      Permalink

      Luciana, qualquer chatice dessa em viagem causa um desconforto muito grande. Toda viagem eh um sonho, ne? Espero que acabe tudo bem para voce! O blog esta parado pq estou viajando. Mas se olhar nas redes sociais estou com tudo, rs. beijoca

      Responder
  • julho 31, 2017 a 8:29 am
    Permalink

    Muito legal ver seu depoimento. Achei por acaso o seu blog e também tenho muita curiosidade (e receio) de conhecer Socotra. Na verdade, tenho muita vontade de conhecer tantos paraísos que infelizmente estão em zona de conflito ou que não aceitam a mulher, principalmente se viaja sozinha. Tomara que seja possível em breve!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *