10 dicas praticas de como adaptar-se a um novo país

Quando a gente resolve mudar de pais ou cidade, tem uma serie de coisas praticas que nos preocupam. Mas acho que a gente fica tão apegado aos problemas materiais e imediatos que nos esquecemos de uma coisa essencial: a adaptação.  E falo do lado emocional da coisa. De se sentir bem, de pertencer a um lugar. Adaptar-se a um novo país não é fácil, mas é muito mais fácil do que se imagina quando voce faz pequenas coisas.

O que mais preocupa a maioria são os documentos, aonde vamos morar e trabalhar, etc esse tipo de coisa preocupa muito mais do que o lado sentimental. Tudo isso é importante, mas voce se sentir bem onde mora é tao essencial quanto ter um emprego e uma casa, e pode ser tao determinante quanto. Quando a gente lembra do lado sentimental, o que acontece com muita gente é lamentar o que esta deixando para trás, e não celebrar o que vem. Eu digo sem medo que a receita não é essa. A receita para ter sucesso num lugar novo esta exatamente em olhar no futuro/presente, em focar na solução de como viver bem e não no que voce vai deixar para trás.

Depois de duas mudanças de país, cada uma completamente diferente da outra, posso dizer que tenho alguma experiência no assunto. E vou dar dicas praticas de como lidar com o que não parece tão pratico assim, que é o lado sentimental das coisas, de sentir-se parte do lugar onde voce esta, de pertencer:

Visitar e analisar a cidade/país antes de mudar é fundamental – Isso pode parecer lógico para muita gente, mas não é o que sempre acontece. Eu mesma mudei para Londres sem antes nunca ter saído do Brasil. Péssima ideia! Eu acho que essencialmente deve ser um lugar que você ja conhece e onde deseja estar. Um local onde voce ja pensou morar antes, ou que tenha as características de um lugar onde voce desejou morar um dia. Seja pratico ao analisar essas características: puramente não ser violento, por exemplo, é algo muito geral e uma característica de muitos lugares. Tente analisar a cidade em conjunto. É importante que tenha um “pacote” de qualidades e não uma ou duas qualidades isoladas. Faça uma lista de pelo menos 10 coisas essenciais num lugar para você. Se tiver a chance de visitar o lugar antes, alugue um Airbnb num bairro onde voce potencialmente pode morar e evite fazer a rota turística clássica. Tente viver como un nativo por uns dias para sentir o clima do lugar.

Planos e tempo– Salvo expatriados que se mudam para um projeto especifico de trabalho, a data de volta geralmente é um plano e não algo concreto. A gente se programa para ficar 1 ano numa cidade, mas no final das contas acaba ficando 5, ou ate o contrario. Isso pode acontecer e é muito mais comum ficarmos mais tempo do que o esperado do que menos. Isso digo de cadeira! O fato é que ter um plano de quanto tempo voce vai morar numa cidade é ótimo, mas se prender emocionalmente a ele é péssimo! Voce acaba vivendo pequenas coisas muito mal porque ” um dia vai embora”, não se esforçando em se integrar na cultura por não ver aquilo com algo a longo prazo. Imaginem que eu vivi com um colchão onde sentia as molas dele por um ano com miséria de comprar um novo porque ” e um dia ia voltar ao Brasil”. Quase 15 anos depois, to aqui.  E o mesmo passa para muita coisa. Eu vejo gente ha 10 anos aqui sem falar nada de catalao, porque é um idioma que não serve para nada fora daqui. Então para que aprender, ne? Ué, porque voce vive aqui agora… Enfim, esse pensamento de um dia eu vou voltar para sua cidade natal so atrapalha! Voce pode ter sim claro que isso é uma possibilidade, mas ter essa ideia fixa so te ajuda a não se integrar. A vida esta em constante mudança e quando a gente decide mudar de pais, a mentalidade tem que mudar junto. Então viva bem enquanto esta onde esta, e se voce decidir mudar, mude também o pensamento. Não tenha medo, nem fique achando que seu pensamento vai ter impedir de mudar, ele so vai te impedir de viver melhor. E quando voce pensar assim, porque é inevitável pensar isso de vez em quando, use ao seu favor e aproveite o lugar como se não houvesse amanha: va aquele museu, va aquela cidade perto, faça aquele curso que voce queria e que so tem naquela cidade, etc.

Atividades em grupo- Se voce gosta de esporte, procure esse esporte para fazer na cidade. Se voce gosta de estudar, matricule-se num curso sobre um assunto x que voce curte. Se a cidade onde voce vai viver é pequena e não existe o que voce quer, faça um sacrifício e va a uma cidade vizinha para fazer esse curso, mas tente fazer alguma atividade em grupo. E tem para todo mundo. As atividades vao desde ir a igreja ate aula de Jiu jitsu, gente. Mas sempre vai ter algum grupo onde voce se encaixa. Procure esse grupo, e de preferencia que esse grupo seja composto não so de gente do seu pais de origem, mas de gente nativa também. Eu sempre faço amizades com brasileiros onde vou, é natural, é muito normal. Mas se voce so tem amigos brasileiros ou só vai a lugares brasileiros, melhor tentar diversificar isso!

 

 

Dividir casa – essa nao vale para familia ou casais, mas eu acho que quem é solteiro pode sim dividir casa por uns 6 meses para conhecer gente. Pode ser trevas, ou pode ser muito legal. Eu conheci bastante gente através da minha flatmate aqui, me deu uma sensação de pertencimento muito importante no comeco. E eu indico. Vai na fé que ajuda muito, voce economiza, descobre nesses meses o bairro onde quer morar sem necessariamente assinar um contrato de aluguel ou comprar uma casa, então eu recomendo. Se voce não tem essa opção, tente fica proximo aos vizinhos de alguma forma. Em cidades pequenas isso é fácil e em grandes sempre existem grupos de Facebook, atividades em bibliotecas e centros comunitários, etc. Se voce for da minha linhagem de cara de pauzismo, puxar assunto na fila do supermercado, do ônibus etc, pode ser a solução , hahaha.

Idioma – logicamente que isso é importantissimo, mas nos dois países onde vivi eu mudei sem falar fluentemente o idioma. E isso faz a integração demorar mais. Como em Barcelona, eu ja cheguei com trabalho, isso me ajudou porque fui forçada a aprender e logo pertenci a uma grupo, mas quando melhor voce falar o idioma local, mais integrada voce estara na cultura. É possível não estar integrada na cultura falando bem o idioma, mas é impossível estar integrada sem falar. Voce pode até estar feliz, pode estar ha anos, ter filhos que nasceram ali e tudo mais,  mas integrada de fato na cultura sem o idioma, não tem como.

Entrar na realidade do local – Essa é uma coisa que me cometei no instagram e que originou esse post(segue la xente, @catalogodeviagens)Não adianta nada pensar como um inglês morando em Barcelona. Aqui o que mais vejo é essa galera do norte da Europa reclamando da cidade. Que as coisas não funcionam, que isso ou aquilo. E o que mais vejo são brasileiros chamando os catalães de fechados. Voce nunca vai viver bem em Barcelona, esperando o nível de serviço alemão. Assim como voce não vai viver bem na Alemanha, esperando a leveza espanhola de viver. Nem vai viver bem na Inglaterra se esperar a hospitalidade mineira, e por ai vai. As coisas são o que são. Se voce não esta na cidade onde esta porque te obrigaram, eu não vejo porque reclamar e comparar. Viva com a mentalidade do local e respeitando a realidade de onde esta. Se algumas coisas te incomodam nessa realidade, voce pode usar a seu favor. Por exemplo se as coisas funcionam de uma maneira mais demorada onde voce esta, aproveite para ser mais ágil na vida profissional por exemplo, e fazer a diferença na sua vida de maneira positiva, e não negativa!

Use a internet a seu favor – Hoje a internet ta ai para atrapalhar mas muuuito para ajudar a nossa vida. Meet up e Internations tinder estão ai para conectar gente do mundo todo em tudo quanto é cidade, para falar de todos os temas possíveis quase! Mas também tem grupos de facebook, tem tanta rede social que é ate dificil dizer. Procure a sua rede social, seja cara de pau, fale com as pessoas, converse, e faça amigos assim. Eu ja conheci amigas que tenho ate hoje pela internet (e elas vão confirmar isso nos comentários que eu sei, rs), muitas pessoas que leem ou liam meu blog, mas muitas pelas redes sociais e blog delas e deles, eu sendo leitora e seguidora. Para os tímidos a internet é uma opção para começar uma amizade porque a coisa flue de uma maneira menos agressiva que ao vivo.

Contatinhos- não, eu nao vou estimular a sacanagiii se é o que voce pensa. Mas gente, amigos de amigos podem salvar a vida! Eu sempre que viajo por mais tempo pego contatos, sempre tento encontrar gente amiga de amiga. Pode ser uma pessoa chatíssima que voce vai ver quase nunca, pode ser uma pessoa legal que você não tera afinidade nenhuma, mas pode ser alguém muito legal que vai virar sua amiga ou amigo. Em todo caso, voce não tem muito a perder. Eu sei inclusive de gente que acabou casando com um amigo de amigo depois de conhece-lo nesse esquema. Então, eu super indico e tenho experiências de todos os tipos(menos a do casamento e afins, hahaha) Posso dizer que o risco de ganhar é muito mais alto do que de perder.

Se coloque no lugar dos nativos- Eu acho que quando a gente muda para uma cidade nova, ao mesmo tempo que comparamos TUDO, a gente esquece como nós mesmos nos comportamos na nossa cidade. Imagina que voce tem uma reunião mensal com suas amigas de infância. É uma data sagrada quando vocês se programam para estarem juntas, darem risadas, etc. Voce acha mesmo que vai convidar aquela menina que trabalha com voce, que acabou de chegar no país, mal fala o seu idioma, e não conhece nenhuma das suas amigas para uma reunião dessa do nada? Claro que não! Voce pode sim convidar essa menina para uma cerveja depois do trabalho, vendo que ela é legal, voce convida para outra, a coisa desenvolve e um dia quem sabe ela vai sair com voce e suas amigas de infância. As amizades são gradativas, e supresa: para os brasileiros que se julgam tao abertos, também! A gente é muito aberto para farra, quando é turista, mas quando é para entrar na nossa vida, não é bem assim. ” A gente marca qualquer dia” e não marca nunca, um clássico brasuca. Então pense como voce agiria na mesma situação. As vezes é verdade que as atitudes podem ser diferentes no seu pais nativo, mas muitas vezes pode ser igual e voce nem esta se dando conta. Se colocar naquela realidade pode ajudar bastante a adaptar-se a um novo país ou cidade.

Paciência! Sim, essa integração não acontece do dia para noite. É um processo, da trabalho, mas é um processo maravilhoso! Aprenda a curtir esse processo e fica mais gostoso. Vai fazer sua vida mais fácil a longo prazo se voce decidir viver na cidade e se você resolver mudar também, ja que voce ja vai saber o caminho das pedras. O que ainda pode acontecer é voce curtir tanto esse processo que vai querer mudar sempre para experimentar o novo, e viver essa fase de descobertas mais e mais!

 

A gente não pode esquecer que o senso de pertencimento total pode demorar anos, ou nunca chegar. É normal, voce não nasceu ai, voce nao viveu uma serie de coisas que te fazem sentir 100% desse lugar. Mas eu te garanto que não precisa se sentir um nativo para se sentir muito bem numa cidade, para se sentir parte dela. Nem precisa levar anos para se sentir integrado a uma cultura. O importante é não se sentir um forasteiro eterno, não olhar o lugar onde voce mora como se fosse algo que não faz parte de voce. Um pouco de paciência, de atitudes corretas, preparação e a fluidez vira 🙂 E vocês, tem alguma dica também?

Facebooktwittergoogle_plusmail

lilistahr

Uma capixaba morando em Londres há mais de 12 anos, e apaixonada pela capital britânica. Viciada em viagem, com uma queda por praias paradísiacas e destinos menos óbvios. Para saber mais clique no "sobre" e escolha "sobre mim" na barra superior.

Um comentário em “10 dicas praticas de como adaptar-se a um novo país

  • novembro 4, 2018 a 2:11 am
    Permalink

    Amei seu texto, tão fluido… tão gostoso… <3

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.