Cambodja, Filipinas e Cingapura: Planejamento e roteiro

Quem me acompanha nas no facebook/twitter/instagram ( sigam nos os bons) já sabe, mas passamos  3 semanas e meia na Ásia, fugindo do inverno britânico como tentamos fazer todos os anos! O motivo principal foi conhecer as Filipinas, e por isso mesmo já sabia direitinho onde queria ir no país , e o resto do roteiro foi se encaixando em torno disso. É o que geralmente faço nos meus roteiros, como contei no post anterior. E dentro das Filipinas, o essencial era conhecer El Nido e fazer uma expedição por ilhas remotas por 5 dias, unica coisa da qual não abria mão. Ainda nas Filipinas não fazia questão de gastar muito tempo em Manila, gostaria de ir a Banaue, mas não seria um problema passar todo o meu tempo em Palawan.  Vejam bem, a República das Filipinas é formada por mais de 7 mil ilhas. E eu não sei quantas ilhas a província de Palawan possui, mas fomos a mais ou menos 30(preciso contar para dar o número exato). A província tem 87 etinías e posso garantir que se nota muito a diferença entre uma região e outra tanto no povo, quanto nas paisagens. Então uma província bastaria para ver algumns lados desse país diverso. O passeio entre El Nido e Coron, que duraria 5 dias tem datas definidas, então meu voo principal Londres/Asia foi comprado me baseando principalmente nesse passeio e suas datas. Encaixamos Siem Reap pois é um lugar que faz parte dos nosso planos desde sempre, e Cingapura porque foi conveniente. Como sou prolixa e desorganizada, me inspirei na estrutura deste post da Camila Navarro do Viaggiando sobre o planejamento da viagem dela para deixar tudo mais organizado e fácil. Aliás, fiquem de olho nos posts “asiáticos” do Viaggiando, ela fez uma viagem linda pela Ásia e está cheia de posts bacanas no blog.
Roteiro
Depois das pesquisas, fechamos o roteiro: Siem Reap, Filipinas e Cingapura.
Antes mesmo de comprar a passagem principal vi que a Cebu Pacific tinha um voo de Siem Reap para Puerto Princesa, que é a capital da Provincia de Palawan com uma espera chata de 6 horas em Manila. Deixei bastante dias livres em Palawan, pois já tinhamos a viagem de barco como certa e programada. Então o roteiro incial ficou assim:
29- saida de Londres( a viagem durou um dia entre diferenças de horários e 2 voos)
30- Siem Reap
31-Siem Reap
01-Siem Reap
02- Siem Reap(nosso voo saiu as 22:40 da noite, então tivemos o dia todo)
03- Chegada em Puerto Princesa
04 à 07- decidir quando chegar
08-El Nido
09 à 13- Expedição de El Nido para Coron
14-Coron
15- Coron
16-Coron/Manila
17-Manila
18- Manila/ Cingapura
19 à 21 – Cingapura
22- Londres
Para os dias livres ainda não sabiamos se ficariamos mais tempo em Puerto Princesa, de onde sai um island hopping bacana( a partir de Honda Bay) e de onde dava para conhecer o maior rio subterraneo do mundo, ou se iria para Port Barton(que tem uma praia bem bonita/island hopping de primeira/pouco turista mas é ruim de conexão para El Nido e perderíamos um dia no transporte) ficar um dia  em Taytay(que não tem praia, mas tem história, base para um island hopping otimo, quase nenhum turista e está no caminho para El Nido) ou mesmo se estenderíamos nossa estadia em El Nido.  Então no final das contas nosso roteiro acabou assim:
04- Puerto Princesa(com daytrip para Sabang)
05-TayTay
06-Taytay(saimos para El Nido no final do dia, mas o trajeto dura 1 hora e meia então tivemos um dia praticamente inteiro por lá)
07-El Nido
08-El Nido
Ainda no dia livre de Manila decidimos ir a um vulcão, que tomou todo o nosso dia(que começou as 3 da manhã!!!)
Essas foram as modificações do roteiro incial traçado, todo resto permaneceu como programado.
Fullscreen capture 02032014 141133.bmp
Passagens
A passagem  principal cobria Londres/Siem Reap,Manila/Cingapura e Cingapura/Londres. As passagens Siem Reap/Puerto Princesa e Coron/Manila foram compradas separadamente.
Para comprar essa passagem com destinos variados, como a que compramos com a Singapore airlines, basta escolher multiplas cidades na hora da busca online. 99% das grandes empresas oferece essa opção. O preço dessa passagem vai depender do destino de saída, e a nossa custou 680 libras/ 2650 reais. As passagens extras, ambas compradas com a Cebu Pacific, custaram 130 libras/500 reais por pessoa do Cambodia para Puerto Princesa e 38 libras/150 reais por pessoa  pela passagem  Coron/Manila. Todas foram compradas com uma certa antecedência(2/3 meses). No nosso hotel conhecemos um brasileiro que queria fazer o mesmo trajeto Coron/Manila, no mesmo dia que nós e a  o preço havia duplicado. Então vale a pena sim comprar antes.
Saúde
Só tomamos um boost de uma vacina de hepatite pois na ida para India acabamos colocando quase todas as nossas em dia. Porém, brasileiros ou pessoas que estiveram na America do Sul ou Africa nos ultimos 6 dias precisam da vacina de febre amarela. Ambos não usamos passaporte brasileiro e não nos pediram nada. Há um foco de Malária no sul da ilha de Palawan(não confunda com a provincia que leva o mesmo nome e possui muitas muitas ilhas) mas como não íamos para lá, decidimos não tomar a vacina. O posto de saúde quis nos convencer do contrário, mas li muito a respeito e decidi não tomar. Essa é uma decisão muito pessoal, mas eu praticamente só fiquei na praia e em lugares onde não há nem malária nem dengue e não tinha a intenção de ir a lugares de risco, então não fazia sentido algum tomar um remédio anti malária. A questão da limpeza nesses 3 países que estivemos é bem diferente de outros lugares como a India, por exemplo. Bem mais tranquilo, dá até para comer salada sem ter medo! Mas alguns cuidados são básicos e devem ser usados em qualquer lugar. Quando na Ásia, acho que o mais importante é ter cuidado com a água. Só tome agua engarrafada e tenha certeza que está lacrada. Nas Filipinas nós notamos que muitas das aguas de garrafa eram tratadas e não mineral, e algumas tinham gosto. Mas nada preocupante, todas que tomamos foram seguras. Inclusive tomei aquelas aguas(que sao filtradas ou da torneira) que eles servem de graça na mesa dos restaurantes. Não tivemos problema mas temos estômago de avestruz, então melhor não seguir nosso exemplo e evitar.
Visto
O úncio país dos 3 que  precisaríamos de visto era o Cambodja, mas o visto é tirado na hora. Muito engraçado por sinal, pois mais ou menos 10 pessoas trabalham para cada visto. Seu passaporte passa de mão em mão .Na minha humilde opinião, bastava uma pessoa para cobrar e outra para fazer o resto e olhe lá. Leve uma foto de passaporte e 20 doláres. É rapidinho apesar de bem arcaico. Quem não chega pelos aeroportos principais do país, precisa de visto antecipado. De acordo com as minhas pesquisas, brasileiros não precisam de visto para entrar em Cingapura e nas Filipinas mas não custa lembrar que essa questão do visto pode mudar a qualquer minuto, e é sensato se informar nos sites das Embaixadas e Consulados antes de ir.
Dinheiro
Para o Camboja nem perca seu tempo comprando a moeda local, eles praticamente não usam. Compre dólar americano e vá feliz. Nós levamos um pouco de dólar, mas tiramos no caixa eletronico também. Foi fácil e é geralmente o que fazemos. Já os impostos brasileiros não facilitam a vida do turista e tirar dinheiro direto da conta pode ser doído, mas eu pessoalmente não levaria dinheiro suficiente para uma viagem de mais de 2 semanas. Eu usaria um dos cartões travel money da vida. Usamos pouco cartão de crédito em Siem Reap, mas pelo que notei os lugares mais caros aceitam, porém não é regra. Nas Filipinas também tiramos dinheiro, mas praticamente todo caixa eletrônico cobra taxa de 200 pesos ou mais e tem limite que se pode tirar por dia, que são 20 mil pesos filipinos em alguns bancos e 10 mil em outros. Isso é muito dinheiro  mas em algumas vilas não tem caixa eletrônico e é preciso tirar a quantidade suficiente para toda a estadia nelas, então é lembre-se disso e calcule bem para não passar perrengue e nem deixar para tirar todo o dinheiro necessário no último minuto e correr o risco de ficar sem(eu fiz isso). Acho que quem for trocar dinheiro deve levar dólar americano e o cambio em cidades mais desenvolvidas é bom. Cada peso filipino equivale a 5 centavos de real e 2 e pouco de dólar. Outras moedas podem até ser aceitas em poucos lugares, mas não conte com isso e certamente você vai sair perdendo, portanto use a moeda local. Passamos 99% do tempo em ilhas menores, então quase nada aceitava cartão e quando aceitava eles cobravam uma taxa, mas em Manila quase todos os lugares aceitam sem extra. Em Cingapura nós também tiramos dinheiro no caixa eletronico, e como é uma cidade grande e totalmente desenvolvida e tecnológica, usar cartão de crédito não é problema. Só mesmo em lugares menores ou nos famosos food hawkers.
Clima
No Camboja existe a estação de chuva e a seca. A chuvosa vai de maio à outubro e a seca de outubro à maio. As temperaturas variam pouco.Ou muito quente, ou quente, mas nunca frio de verdade. Época chuvosa por lá, e em geral em todo o sudeste asiático, significa pancadas de chuva forte algumas vezes por dia ou uma vez, mas não chuva o dia todo. Entretanto a chuva pode trazer enchentes e outras chatices. Se eu  fosse na época das monções evitaria ir bem no meio do período. O comecinho e o final das monções costumam ser uma época mais certeira e mais barata, não só no Camboja mas em todo o sudeste asiático. Cingapura tem duas monções por ano, uma de junho à setembro e outra de dezembro à março. Nós fomos na primeira semana de fevereiro e não vimos uma chuva, mas ventava muito. Mas nada atralhou nossa viagem. Como Cingapura era só um plus para nós a chuva não faria muita diferença. Já o clima nas Filipinas merece um capítulo a parte. O clima é completamente maluco! Mas uma coisa é certa, respeite a época dos furacões e tempestades tropicais, fuja mesmo. O resto é resto. Quando se programa uma viagem para as Filipinas em plena época de furacão, a questão não é quando o furacão vai chegar, é aonde. Não é exagero. Estatisticamente falando, a Republica das Filipinas é o país que mais sofre com tempestades. A época dos furacões e tempestades tropicais vai de junho até janeiro. O país possui 2 estações, a seca e a de chuvas, como a maioria da região. A seca vai de Janeiro à Maio e de Junho à Dezembro é a época das monsões. Os meses mais secos são Fevereiro, Marco e Abril, e por isso mesmo são a alta estação(sendo a Páscoa a semana mais popular entre os turistas filipinos) O problema, e talvez por isso o país não seja tão popular quanto a Tailândia por exemplo, é que ir fora da época de chuva e furacão não significa estar livre deles. Uma amiga minha foi logo após o Yolanda e viu um mísero dia de chuva. E nós, em plena época seca também vimos um dia de chuva, e alguns de nuvens com sol. Os furacoes e tempestades mais severos que atingiram o país foram praticamente todos dentro da época esperada, mas mesmo assim eles continuam de olho nas previsões diariamente. Por do sol a la Sri Lanka vimos poucos dias, graças as nuvens eternas. Realmente o clima filipino é uma incognita, segundo os próprios nativos. Mas indo para tão longe eu é que não daria sorte para o azar e, como fizemos, escolheria uma época mais segura metereologicamente falando.
Facebooktwittergoogle_plusmail

lilistahr

Uma capixaba morando em Londres há mais de 12 anos, e apaixonada pela capital britânica. Viciada em viagem, com uma queda por praias paradísiacas e destinos menos óbvios. Para saber mais clique no "sobre" e escolha "sobre mim" na barra superior.

Um comentário em “Cambodja, Filipinas e Cingapura: Planejamento e roteiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.