5 dias por ilhas remotas entre El Nido e Coron

Uma das coisas mais esperadas da nossa ultima viagem à Asia foi um passeio de 5 dias que fizemos num barco por ilhas remotas. E é sobre ele que vou falar neste post. Dividi esse assunto em dois posts, um sobre a experiência, para vocês viajarem conosco; e outra sobre as dicas práticas para quem se animar e quiser fazer o passeio também.

Descobri a empresa Tao Philippines que faz o passeio no forum do Lonely Planet e automaticamente ele virou o centro da nossa viagem. Dormir em ilhas remotas, com praticamente ninguém além do seu grupo, visitando ilhas e vilas que a maioria dos turistas não tem acesso e vendo os lugares mais lindos e tendo eles praticamente só para você. É muito a nossa cara! Sem contar que esse passeio oferecido por eles nos levava à Coron saindo de El Nido de uma maneira mais segura do que os ferries. O caminho feito pelos ferries leva em média 8 horas, enquanto nós fizemos em 5 dias, mas aproveitando ao máximo e sem “sentir” a viagem. Sem falar que não é raro ler histórias de acidentes variados com ferries neste caminho. O mar é agitado, o clima é muito imprevisível e muitas empresas são imprudentes. O passeio da Tao é bem caro para padrões filipinos, o clima é complicado de prever e principalmente o grupo muitas vezes determina se realmente será legal, ou seja: a sorte é peça fundamental para um passeio bem sucedido! É bom lembrar também que esta não é uma viagem que agrada a todos os tipos de viajantes pelo seu estilo mais rústico.

paraiso nas Filipinas

Dormitórios/camas/bangalôs: A empresa tem alguns acampamentos montados em ilhas, então o grupo é dividido em sub grupos que dormem nas cabanas providenciadas. Em uma das 4 noites tivemos o luxo de termos uma cortininha nos separando mas estávamos basicamente na mesma cabana que outras pessoas, e uma outra noite tivemos uma paredinha de bamboo separando, mas a verdade é que você fica bem exposto pois não existem portas ou qualquer privacidade Em outras 2 noites dormimos junto com outras pessoas. Esqueça banho quente, quarto privado, eletricidade e deixe a vaidade em casa. Somente 2 bangalos eram mais fechados como disse, mas os outros dois só tinham teto. Não tinham nem porta, nem janela, nem nada. Cada um tem seu cochonete, seu cortinado e roupa de cama. As roupas de cama e cortinados ficam numa sacola onde cada um põe seu nome e usa a mesma nas 4 noites. Já o colchão e travesseiro não tem “dono”, você usa o que estiver disponível. Na primeira noite os funcionários ensinam como colocar o cortinado e no restante dos dias é com você.

bangalo

Rota: De acordo com a empresa, eles não tem itinerário certo. Eles tem ilhas que podem ser usadas de base com o acampamento meio montado, mas o que vai determinar mesmo é o clima. O nosso guia só sabia no dia anterior qual seria nossa próxima base e roteiro. Nós fomos numa época bem popular, então além do nosso grupo, saiu um outro grupo no mesmo dia que nós. Nós vimos o barco deles de longe uma vez , e acho que a rota do outro barco também influenciou na nossa. Afinal de contas a questão é visitar lugares que pouca gente vai, então eles se preocupam em não colocar dois grupos grandes na mesma ilha. O grupo pode pedir que eles parem em determinada ilha, ou que fique mais tempo em algum lugar. Nem sempre isso é possível pois algumas coisas dependem de licença, mas conosco funcionou. O lider nos perguntou se queriamos parar em uma das ilhas e nós pedimos para parar em uma que achamos bonita também. A chave do sucesso nesse quesito é conversar e falar o que você e o grupo querem!

Tao philippines rota El Nido e Coron

Grupo: Nós tivemos MUITA sorte com nosso grupo. Como a maioria era europeu, acho que isso ajudou(pelo menos para nós), já que nós não só sabemos lidar em geral com eles, como também gostamos muito da maneira européia de ser. Éramos 2 brasileiros, 3 holandeses, 1 belga, 1 finlandesa, 1 russo, 1 italiano, 1 suiço e 4 americanos. Eles geralmente não aceitam crianças, mas no nosso grupo aceitaram. Achei chato não perguntarem para o grupo primeiro, mas honestamente o problema nem foi a criança, foi o pai da criança. Quer dizer, nem foi problema, mas ele foi o único que não se misturou muito, não ajudava em nada, enquanto todos nós tratamos os funcionários como amigos, ajudamos e fizemos tudo como um time, tentando entender e aprender sobre a cultura um do outro, respeitando as diferenças; ele não quis saber muito de trocar experiência. Uma pena para ele. Ficamos amigos e estamos marcando um encontro de verão com algumas pessoas do grupo. Mesmo que nós tivessemos escolhido a dedo, não teria sido tão legal.

El Nido e Coron

Ilhas: de acordo com as minhas anotações, visitamos quase 20 ilhas nesses 5 dias, o que pode parecer muito mas foi sem nenhuma pressa, juro. A primeira ilha onde acampamos foi a minha preferida, pois além de ser tudo novidade ainda, a ilha era muito arrumadinha, nossos bangalôs ficavam bem escondidos, tivemos massagem , a interação começou muito bem, demos até aula de forró para os gringos(que amaram, por sinal), teve fogueira e foi tudo tão deliciosamente surreal, que parecia um sonho. E como era o começo achei perfeito que aquela noite não tinha praticamente ninguém além do nosso grupo, assim tivemos a oportunidade de nos conhecer e criarmos um laço maior. Na segunda ilha estava hospedado o dono da empresa e mais 2 amigos seus. Mesmo assim nós praticamente não vimos ninguém além do nosso grupo. Exceto a última ilha, todas eram lindas e pareciam ter saído de uma revista de viagem ou cartão postal. Mas na última ilha vimos mais gente, vivia uma família inteira, que já tinha netos/bisnetos/ então era uma familia grande com várias casas. Para quem gosta de praia, não tem preço acordar numa ilha e sentir que ela é só sua, dormir com o barulho do mar e vendo as estrelas, ter um pouco de paz que vem da natureza.Fizemos snorkelling em alguns lugares, inclusive perto de Coron, onde vimos um dos navios da segunda guerra que estão afundados lá. Mas o foco dessa viagem não é esse e nem espere muito. Os corais estavam quase todos mortos, principalmente perto de El Nido.

base camp 2 tao El Nido e Coron

Etretenimento: Tivemos uma noite de karaokê na ultima ilha, que é uma febre nas Filipinas, qualquer lugar tem. Então os pescadores das vilas vizinhas vem para esta ilha se divertir também. Foi uma das noites mais memoráveis que tive em viagens. A noite foi super divertida, mas foi uma oportunidade bacana de nos divertir com os nativos, fazendo parte do mundo deles por um momento. Eu e o Klaus viramos atração da noite quando dançamos “Chorando se foi”(que sim, toca em todo lugar gringo do mundo, até numa vila minúscula nas Filipina) no melhor estilo competição de dança, com direito a 10 voltinhas sem parar em tudo, rs. Quem conhece a gente sabe que isso é possível e que não precisamos de muito para animar até velório. Ele também ficou bem popular depois de ganhar 100 % no Karaokê mas não espalha que a música só tinha uma frase. Tinhamos uma cantora profissional no grupo, o que ajudou muito no quesito animação também. Eu fiz tanta amizade que toda a vila sabia meu nome no dia seguinte. Acordei e quando fui ao banheiro ouvi em coro de umas 5 meninas: good morning, Liliana. Como não amar? Quando cheguei em terra firme tinha uns 20 convites de Facebook me aguardando,rs. Nas demais noites, que estávamos sozinhos nas ilhas, a diversão foi bem coisa de acampamento mesmo. Joguinhos que evolvem pagar prenda, a aula de forró como disse, bebida, musica, etc. Mas sem querer parecer um disco quebrado, essa é outra parte que o grupo determina muito! No nosso grupo algumas pessoas eram claramente mais diurnas mas a maioria curtia uma festa. Mesmo assim ninguém ia para cama super tarde pois a gente acordava literalmente com as galinhas. Não, ninguém é forçado a acordar super cedo, mas quando você dorme num local com luz natural e abert, dividindo o quarto com outras pessoas, é natural que se acorde cedo mesmo. Mas durante o dia no barco tem lugar para deitar e descansar um pouco.

karaoke filipinas

Conforto e privacidade: Bom, essa é uma parte que pega para muita gente. Dividir quarto, ter que tomar banho frio todos os dias e perder a privacidade podem ser um preço alto para vários. Para mim foi tranquilo, mas sim tem coisa que é chata mesmo. O mais dificil foi o banheiro, mas no final das contas já fazia parte e eu acostumei. Na maioria dos banheiros a privacidade era limitada, e o esquema era tomar banho a la Big Brother mesmo, de biquini.  Somente 2 banheiros tinham água corrente. Nos outros 2 o banho foi no esquema balde e canequinha. Logicamente que se não tem agua corrente, vaso com descarga só vi em terra firme! Também tem umas incoveniências de dormir em bangalos abertos. Em uma das ilhas, acordamos com um gato de um lado da cama e um cachorro da outra. E na porta, uma galinha,rs. Muita gente não conseguiu dormir na primeira noite também. O corpo estranha o colchão fino, os barulhos, etc. Eu dormi todas as noites, uma delas não tão bem, mas nas outras dormi feito pedra como de costume. Parece pior do que realmente é. Acho que você fica tão inserido no contexto roots da coisa que esses detalhes não incomodam tanto quanto pode parecer. No site da empresa está muito bem explicado que esta não é uma viagem que agrada qualquer um, portanto é preciso saber muito bem o que te aguarda para não chegar lá e perguntar”cade meu quarto, minha toalha, meu banheiro?”. É meio dificil de acreditar pois no site eles dizem umas mil vezes como é o esquema, mas ainda assim eu ouvi dos funcionários que tem quem caia de para quédas e se revolte com coisas que são claramente explicadas anteriorimente. Uma vez lá, não tem volta e quem for com uma expectativa diferente pode prejudicar o grupo todo.

O "chuveiro!"
O “chuveiro!”

Comida: essa é uma das partes que eu mais aguardava, e não é que me decepcionou, mas deixou ligeiramente a desejar talvez porque eu esperava demais. As comidas eram deliciosas, mas um pouco repetitivas. Eu poderia facilmente viver a base de peixe e salada, mas comemos muitas vezes o mesmo peixe. TIvemos lula um dia, camarão nenhum dia e porco no rolete um dia, e não estava tão bom quanto pensei. Tudo era muito fresquinho, tudo muito temperadinho e delicioso. Só que depois do nosso passeio de um dia em El Nido, eu esperava que a comida do barco fosse mais ou menos aquilo também.  As sobremesas são frutas, e as vezes no lanchinho da tarde eles faziam banana frita, turron; que é uma banana frita envolta numa camada da massa do rolinho primavera(maravilhoso!)  Em um dos cafés da manhã teve mingau de aveia feito dentro do coco, com tudo mais natural possível, muito muito delicioso mesmo. Os peixes eram super frescos, assim como as verduras e legumes. O nosso chef arrasava, fez um curry inesquecivelmente delicioso com o coco fresco ralado na hora, mas acho que o me encheu mesmo foi só ter o mesmo peixe em várias refeições. Enfim, talvez eu esteja sendo muito exigente, mas para um passeio de barco eu esperava uma fartura maior de mariscos, só isso mesmo. Sem contar que eu sei que eles pegam atum e fazem sashimi em alguns passeios e isso nào aconteceu conosco, e achei meio preguiça do nosso líder, fiquei triste sem meu sashimi. Mas toda a comida que comi estava deliciosa, só gostaria que a variedade fosse maior. Para quem não gosta de arroz e peixe pode ser um problema, pois essa é a base da alimentação. Já os vegetarianos não terão muito problema, pois toda refeição principal vinha acompanhada de muitos legumes, além da salada e arroz. Mesmo assim, se eu fosse vegetariana avisaria antes.

churrasco de peixe

Vilas: Visitamos algumas vilas e projetos que a Tao tem em algumas ilhas. É tudo muito simples, mas foi bacana ter essa interação. Uma amiga minha foi 2 meses antes de mim e achou que eles forçam um pouco a barra com essa história de Tao project, mas eu não senti isso. Até porque eles realmente ajudam os nativos, e ninguém te pede dinheiro nem nada, que é o que teria realmente me incomodado. Conosco foi bem tranquilo, tudo bem natural mesmo. Um dos casais levou bolas de soprar e alguns adesivos para dar às crianças. Vou fazer isso sempre que for a esse tipo de lugar. Não pesa na mala e vocês nào tem idéia da alegria das criançada. Como tinhamos 2 professores no nosso grupo, por duas vezes eles deram mini aulas para as crianças. Coisa rápida e para entreter, mas que foi legal de ver.

criancas filipinas

Foi uma das nossas melhores experiências em viagens como um todo: interação, paisagens, aprendizado, etc. Mas isso é uma questão de sorte, é pessoal e vai do gosto do freguês também. Essa minha amiga que foi antes de nós teve uma experiência diferente. E conversando com o pessoal do outro barco que saiu no mesmo dia que nosso, descobrimos que os dias deles também não foram tão maravilhosos quanto os nossos. Um dia antes da viagem o grupo tem  uma conversa com os líderes e uma coisa que deixaram bem claro para nós foi que duas coisas podem causar problemas: a bebida acabar antes do final da viagem (que é paga a parte) ou brigas entre casais do grupo. Nos avisaram que o problema entre um casal pode afetar muito o restante. E parece que foi o que aconteceu no outro barco que saiu junto com o nosso. Quando perguntamos ao líder como foi ele disse:” muito drama! Falei para vocês que isso acontece!” Então tudo isso é uma questão de sorte. Mas lendo os reviews no tripadvisor, que são praticamente todos bons, parece que a grande maioria das pessoas tem a mesma sorte que nós. Além da sorte é preciso também ter expectativas reais e ser tolerante com algumas coisas para curtir de verdade o que esse passeio oferece. E ter em mente que a empresa tem razão, esta não é uma experiência que cai bem para todos. Só sei de uma coisa, depois desse passeio, descobrimos vários semelhantes e mal posso esperar para entrar num barco novamente e conhecer ilhas remotas e paradisíacas no mesmo esquema! Quem gostou continue ligado pois no próximo post falarei sobre as dicas práticas como custo, o que levar, etc.

Para ler todos os nossos posts sobre El Nido e Coron, clique aqui e aqui.

Facebooktwittergoogle_plusmail

lilistahr

Uma capixaba morando em Londres há mais de 12 anos, e apaixonada pela capital britânica. Viciada em viagem, com uma queda por praias paradísiacas e destinos menos óbvios. Para saber mais clique no "sobre" e escolha "sobre mim" na barra superior.

20 comentários em “5 dias por ilhas remotas entre El Nido e Coron

  • Maio 6, 2014 a 2:32 am
    Permalink

    Eu acho que você tocou no ponto certo, Lili. Essa viagem tem tudo pra ser inesquecível e dar sorte faz o tudo ser mais especial. Fomos de Coron para El Nido e acho que tivemos menos flexibilidade espontânea que vocês, mas demos mais sorte com a comida. Rolou siri duas vezes feitos com temperos diferentes. Jeff, the chef, arrasou! Meu grupo era mais maduro e quieto. O povo passava a maior parte lendo. Eu passaria mal lendo no barco. Essa parte de dormir praticamente ao relento foi uma das minhas preferidas. Adorei o chuveiro/banho de balde da ilha do karaokê (não sei se foi a mesma) com pedrinhas no chão. A crew foi excelente e a gente não queria ir embora do barco quando chegamos a El Nido. Queria mais um dia nas ilhotas do parque, mas não podia. Acho que de El Nido pra Coron se vê mais coisas. Vou fazer uma foto novela pra você no Flickr, aí lembro de mais coisas. Lindas suas fotos sem filtro! Dias perfeitos!

    Responder
    • Maio 7, 2014 a 10:48 am
      Permalink

      Giu,
      Siri? Morri agora! Jeff the chef é ótimo mesmo! Li muita coisa boa sobre a comida e você só reforçou o coro, então acabei criando uma expectativa muito alta. Acredito que dei azar nesse quesito mesmo. Eles tiveram dificuldade de comprar peixe um dia e compraram o que deu, mas como disse o chef arrasou sempre, a comida estava uma delícia. Cada um é cada um, eu detestaria um barco cheio de gente lendo, mas conheço um monte de gente que amaria. O fato de ter saído de El Nido e não de Coron ajudou bastante tb, eu acho. Vimos muita coisa linda. Acho que a sua ilha do Karaoke foi a nossa primeira ilha, que é linda mais combinou mais com a nossa noite mais intimista mesmo. A nossa ilha do Karaokê era feiosa mas cheia de gente, o que fez a noite ser super divertida. Bjs amores, aproveita o resto dessa viagem linda!

      Responder
  • Maio 8, 2014 a 12:54 am
    Permalink

    Nossa Liliana! Que achado! Adorei! Sério, esse tipo de viagem super diferente é a melhor coisa pra se desligar do dia a dia. E por essas praias maravilhosas!
    Esse lance de ter se dado bem com a galera é também porque o povo que encara esse tipo de viagem é um povo parecido. É a mesma coisa nos barcos de mergulho que vou.
    E to agora querendo viajar também com esse casal que anima até ilha deserta!
    Só uma pena essa decepção com a comida.
    To doida pra ir pras Filipinas, todo mundo que conheci nessa última viagem falava que tenho que ir, mas pra focar em mergulho né.
    Essa região que vc foi tem mergulhos sensacionais!

    Responder
    • Maio 8, 2014 a 7:53 am
      Permalink

      Carlinha,
      Essa viagem foi realmente um mega achado. E esta cada vez mais famosa e mais difícil de encontrar lugar, as vagas nos barcos acabam muito rápido! Quanto à comida, como disse estava tudo maravilhoso, só achei muito repetitivo. Mas nada que tenha sido um problema, eu criei muita expectativa em relação a isso porque os comentários são todos muito bons. Você vai amar as Filipinas! Mas acho que alem do mergulho, da uma chance para o mundo de”cima” tb pq as ilhas são muito paradisíacas e lindas. Em Coron SÓ tem mergulhador. Vimos muitos mesmo. Acho que é meio como Koh tao na Tailândia. Mais para frente vou falar de lá. Xx

      Responder
  • Pingback: Passeio de barco entre El Nido e Coron- dicas práticas | Catálogo de viagens

  • Pingback: Coron- Tour A, a supresa boa da viagem | Catálogo de viagens

  • Pingback: Planejamento e roteiro: 43 dias na Ásia | Roteiro em Construção

  • Pingback: Figuras de viagem- os Filipinos | Catálogo de viagens

  • Pingback: O sonho da ilha deserta é possível (e barato) nas Filipinas! - Catálogo de Viagens

  • setembro 4, 2015 a 1:57 pm
    Permalink

    Oi Liliana, tudo bem ?
    Estou indo para as Filipinas em Fev. 2016, quero muito fazer um tour desse, li que vc falou que tem vários passeios semelhantes, vc tem como citar algum desses ?
    Estou pesquisando mas parece que só existe a TAO.
    O preço deles eh um pouco alto, queria pesquisar e ver se tem alguma outra empresa que faça esse tipo de passeio.
    Obrigado e parabéns pela página, mto bacana !!

    Responder
    • setembro 4, 2015 a 2:47 pm
      Permalink

      Thiago,
      Passeio entre Coron e El Nido eu só conheço o da Tao. Os passeios semelhantes aos quais me referi são em outros países. Estamos de olho em um passeio desse em Belize desde então. Em El Nido existe uma fiscalização, que mais parece um cartel, onde todas as empresas fazem os mesmos passeios e cobram os mesmos preços. Vi que existem algumas empresas que fazem passeios do tipo: durma na ilha tal ou na ilha próxima a lagoa tal, mas não vi nada disso online. Acho bem provavel que você consiga negociar com algum pescador por lá para te levar numas ilhas dessas, mas aí é contar com a sorte. Se você quer a experiência de estar numa ilha deserta, dê uma olhada neste post aqui http://catalogodeviagens.net/2014/03/o-sonho-da-ilha-deserta-e-possivel-e-barato-nas-filipinas/ . Nele eu falo sobre um passeio que fizemos em Taytay para duas ilhas desertas. Na época que fui, o dono do hotel onde ficamos em Taytay tinha várias ilhas, e por 500 pesos por noite ele alugava uma barraca para voce passar a noite em uma delas. A comida e o barco até a ilha ficam por sua conta, mas ele tem um preço com transporte e comida incluída(eu achei caro na época). O preço da Tao é alto mesmo, ,mas depois de ir lá e ver tudo de perto deu para entender porque. São pelo menos 5 funcionários que ficam o tempo todo com você, fora o pessoal nas ilhas, sem contar na estrutura toda que eles dão. Valeu cada centavo! Obrigada, fico feliz que tenha gostado do blog.

      Responder
  • Pingback: Vícios de Viagem | Carol Guelber » Arquivos El Nido, Palawan, Filipinas: o lugar mais lindo do mundo! - Vícios de Viagem | Carol Guelber

  • Maio 11, 2016 a 4:25 am
    Permalink

    Parabéns pela viagem. Um verdadeiro achado seu relato em detalhes. Me tira uma dúvida, vi que eles fornecem mosquiteiros mas…. São muitos?
    Quantas horas por dia vocês ficavam no barco?
    Valeu

    Responder
    • Maio 15, 2016 a 12:30 pm
      Permalink

      Netto, Obrigada!
      Eles fornecem TUDO menos toalha. Todo o resto sim! Comida, colchonetes, mosquiteiros,etc. Ficávamos desde umas 10 da manhã no barco até 5/6. Mas com muitas paradas em ilhas, locais para fazer snorkel, etc. Não navegamos por mais de 2 horas na maior parte do tempo. É muito bom viu!

      Responder
  • agosto 8, 2016 a 1:56 am
    Permalink

    ola… tudo bom? Incrível seu blog, bem difícil achar informações precisas da filipinas em português, seu blog deu um norte para mim, parabéns!!! Vamos as perguntas…
    Vou chegar por Bangkok dia 29, ficarei até dia 02/01/2017 partindo para direto PP, 03/04 possivelmente seguiremos para El Nildo e dia 05/06 partiremos para essa trip… terminado ou tour e chegando Coron, como voltaremos para EL Nido consequentemente PP?
    Por esse site que podemos reservar: http://taophilippines.com/ ? Qual foi o seu tour: Sailing? Private? Safari?
    Pq vc n foi para Cebu? Parece bem interessante mergulhar com tubarão baleia, canyoning, tirolesa, cachoeiras…
    Espero ansioso pelas informações
    ate….

    Responder
    • agosto 8, 2016 a 1:10 pm
      Permalink

      Julio,
      Obrigada. Fico feliz que o blog seja útil para você. Não faz muito sentido começar sua viagem em El Nido se você precisa voltar para PP. O que eu fiz foi pegar um voo de volta de Coron, aconselho que faça o mesmo pq voltar para El Nido não tem logica, esse passeio é inclusive uma forma de fazer essa travessia de maneira interessante. Eu fiz o passeio clássico deles, o tour em grupo que acho que é a primeira opção. Só existia ela antes. Não tinha sailing, privado ou safari. É o tour de 4 noites e 5 dias mesmo. Não fui para Cebu por falta de tempo. Eu sou meio preguiçosa e acho que curto mais quando fico mais tempo em menos lugares, funciona pra mim, então nas minhas duas semanas eu achei que só Palawan já estava de bom tamanho. A Carol do Vícios de viagem tem vários posts sobre as Filipinas tb. Ela foi pra Cebu, olha lá: http://viciosdeviagem.com/tag/filipinas/
      Espero que te ajude!

      Responder
  • agosto 9, 2016 a 2:45 am
    Permalink

    Obg pela dicas… Então, o problema é que venho de bangkok com bilhete direto para PP ida e volta, obrigatoriamente tenho que voltar por PP, por isso que estou com esse problema de translado. Li que é bem complicado reservar bilhetes em Coron. Em tese circular por Cebu parece mais cômodo por utilizar basicamente trechos de terra/Ferry. Mais aí quando li o teu relato da trip do barco resolvi mudar os planos, parei no trecho Coron/PP, ou seja, como eu faria para voltar?

    Responder
    • agosto 9, 2016 a 2:28 pm
      Permalink

      Julio, se eu fosse você nem iria para Coron então. Faça passeio soltos de um dia em El Nido, ou veja se a Tao oferece algum passeio que comece e termine em El Nido. Ficar 5 dias para chegar em Coron e depois ter que voltar a PP é completamente inviável na minha opinião. Os ferries são notoriamente perigosos, e tem MUITA história de acidente. Eu não sou uma pessoa que se intimida com essas coisas mas eu li mais coisa ruim do que boa sobre os ferries El Nido- Coron. Então meu conselho é esse.

      Responder
  • setembro 2, 2016 a 8:18 pm
    Permalink

    Ola Liliana

    Adorei seu post. você lembra a média de tempo/dia de navegação?

    Obrigada

    Responder
    • setembro 5, 2016 a 10:20 am
      Permalink

      Não lembro exatamente, mas só navegamos mais no ultimo dia mesmo. Nos outros paramos bastante para conhecer ilhas, fazer snorkeling e tudo mais. Acho que nao foi mais de 3 horas por dia, exceto o último.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *